Não devemos “criar” doenças.

Resultado de imagem para foto de homem saudavel e doente

Existem pessoas que gostam de “criar” doenças.

Essas  pessoas  demoram a procurar o médico e quando procuram não tomam o medicamento no horário correto, não fazem repouso e a todo momento reforçam: “Eu estou mal!! Estou com muita dor!! Não presto para mais nada!”   E assim desfiam lamentações e acreditam que o seu sofrimento é maior do que o de qualquer outra pessoa.

Esse comportamento pode ser uma forma inconsciente de chamar a atenção   para si, por se sentir com baixa autoestima  ou para  tentar fugir de suas responsabilidades diante da realidade que está vivendo, e assim prorrogam seu sofrimento físico.

E já existem pessoas que não aceitam a doença para si. Que fazem o tratamento certinho, que acreditam que vão ficar curadas e assim, realmente conseguem a cura em curto espaço de tempo. Porque o emocional manda muito na recuperação de qualquer doente. O pensamento positivo, a força interior, a fé seja qual for o nome,  faz com que a pessoa desenvolva a capacidade de se curar através do estímulo ao corpo e existem inúmeros artigos falando sobre isso:

https://osegredo.com.br/2016/08/cura-atraves-dos-pensamentos-positivos/

E embora cientificamente ainda não se obtenha prova suficiente,  a medicina chinesa tem sido bastante eficiente no tratamento de doenças físicas baseadas nos problemas emocionais:

https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=5&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwj8kIDuqObUAhVLh5AKHb5xAMIQFghGMAQ&url=http%3A%2F%2Fsomostodosum.ig.com.br%2Fartigos%2Fastrologia%2Fa-causa-das-doencas-esta-nas-emocoes-negativas-09145.html&usg=AFQjCNEyGK_NqC8SmtdWRO65xGl1DN37Kw

Estes links falam mais sobre o assunto e mesmo que não goste muito de ler, tenha a certeza de que sua saúde física melhorará a partir do seu estado emocional porque de qualquer forma, quando estamos bem emocionalmente, temos mais força para enfrentar as dificuldades da vida.

Um Mandamento para salvar o mundo.

 

 

Resultado de imagem para foto de abraço coletivo“Amar ao próximo como a si mesmo”.

Em pensar que todos os problemas do mundo seriam resolvidos se os homens apenas obedecessem a este Mandamento:

Se o homem amasse o próximo como a si mesmo, não existiria a fome no mundo, porque todos teriam um emprego com dignos salários.

Não haveria órfãos, porque os pais não seriam mortos em guerra e as famílias seriam bem estruturadas.

Não haveria mais violência, porque ninguém teria coragem de agredir  seu irmão, por ter consciência da dor que sentiria.

Não haveria mais corrupção porque os políticos governariam para o povo e não pelos seus próprios interesses.

Se todos praticassem esse Mandamento construiríamos uma sociedade justa, pacífica e abastada.

E pensando, concluo que apenas a fé pode nos manter perseverantes, e que não é preciso nada a mais para salvar o mundo, do que CADA um fazer ao OUTRO,  apenas e tão somente o que faria para si mesmo.

 

O medo, emoção e sentimento.

 

­

O medo petrifica,  paralisa,  tira o fôlego, deixa o cérebro mais lento.

O medo não te permite organizar as idéias e  te faz perder o controle do corpo como se fosse desmaiar.

Causa ansiedade e pode levar a perda do sono.

Ainda pode deixar as mãos trêmulas e o coração disparado, provocando  tensão na nuca, dificuldade de respirar, seguido de sensação de perda de forças no braço e  tremor nas mãos.

Talvez seu maior medo seja chegar lá! Isso já passou pela sua cabeça?

O mesmo medo que serve para nos proteger do perigo evitando que nos machuque,  também nos impede de agir diante de situações em que deveríamos expressar reações.

 

Por isso, devemos buscar o controle dessa emoção.

Assim que surge o medo e experimentamos  as reações do nosso organismo, simultaneamente devemos ativar o pensamento,  refletindo sobre os riscos e a necessidade de reagir para chegar ao sentimento adequado a cada situação.

Resultado de imagem para imagem de andar e deparar com uma onça

Por exemplo, caminhando numa mata, nos deparamos com uma onça, o medo (emoção) age instantaneamente  e nos paralisa, porém nosso cérebro pensa numa forma de se proteger e o sentimento de sobrevivência força o corpo a correr e procurar abrigo.

 

Ou se estivermos no topo de um barranco e de lá virmos água cristalina, o encantamento pelo belo (emoção) nos fará ter  a vontade de pular, porém o medo (sentimento de se proteger) nos impedirá de saltar para que não coloquemos nossa vida em situação de risco.

Diante de uma platéia, em que seja necessário falar, o medo (sentimento de não conseguir obter os resultados  esperado) poderá nos impedir de pronunciar uma palavra sequer, ou ainda desencadear reações  no organismo, como:  suar frio, gaguejar, tremer…entre outras.

Portanto, o medo ora é sentimento ora é emoção, dependendo de seu desencadeador, e precisa ser bem administrado para agir de forma positiva em nossas vidas.

E diante da percepção de que o medo está atrapalhando, é importante buscar  ajuda de um profissional habilitado, seja com psicólogos para superar  traumas e fobias que leva ao comprometimento do convívio social ou com profissionais ligados a área de desenvolvimento profissional que através de técnicas, conseguem preparar pessoas para falarem em público de maneira tranquila e eficiente.

Embora é necessário se ter consciência de que toda superação tem por base o esforço pessoal, a determinação e a , seja em Deus ou  seja a fé,   no sentido  de acreditar, que é possível  vencer as nossas próprias limitações.