Não devemos “criar” doenças.

Resultado de imagem para foto de homem saudavel e doente

Existem pessoas que gostam de “criar” doenças.

Essas  pessoas  demoram a procurar o médico e quando procuram não tomam o medicamento no horário correto, não fazem repouso e a todo momento reforçam: “Eu estou mal!! Estou com muita dor!! Não presto para mais nada!”   E assim desfiam lamentações e acreditam que o seu sofrimento é maior do que o de qualquer outra pessoa.

Esse comportamento pode ser uma forma inconsciente de chamar a atenção   para si, por se sentir com baixa autoestima  ou para  tentar fugir de suas responsabilidades diante da realidade que está vivendo, e assim prorrogam seu sofrimento físico.

E já existem pessoas que não aceitam a doença para si. Que fazem o tratamento certinho, que acreditam que vão ficar curadas e assim, realmente conseguem a cura em curto espaço de tempo. Porque o emocional manda muito na recuperação de qualquer doente. O pensamento positivo, a força interior, a fé seja qual for o nome,  faz com que a pessoa desenvolva a capacidade de se curar através do estímulo ao corpo e existem inúmeros artigos falando sobre isso:

https://osegredo.com.br/2016/08/cura-atraves-dos-pensamentos-positivos/

E embora cientificamente ainda não se obtenha prova suficiente,  a medicina chinesa tem sido bastante eficiente no tratamento de doenças físicas baseadas nos problemas emocionais:

https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=5&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwj8kIDuqObUAhVLh5AKHb5xAMIQFghGMAQ&url=http%3A%2F%2Fsomostodosum.ig.com.br%2Fartigos%2Fastrologia%2Fa-causa-das-doencas-esta-nas-emocoes-negativas-09145.html&usg=AFQjCNEyGK_NqC8SmtdWRO65xGl1DN37Kw

Estes links falam mais sobre o assunto e mesmo que não goste muito de ler, tenha a certeza de que sua saúde física melhorará a partir do seu estado emocional porque de qualquer forma, quando estamos bem emocionalmente, temos mais força para enfrentar as dificuldades da vida.

Cuidado com o que falas.

Resultado de imagem para foto de cochicho

 “…o mexeriqueiro revela o segredo; portanto, não te metas com quem muito abre os lábios” (Provérbios 20.19).

Não importa qual  religião você siga, mas a Bíblia traz em suas páginas ensinamentos de como viver de forma tranqüila evitando muitos problemas.

O Provérbio do mexeriqueiro é um deles, e nos alerta de que devemos prestar muita atenção a quem confiamos nossos problemas e o que falamos, seja nas reuniões entre amigos, no trabalho ou na família.

Primeiro porque a palavra jamais consegue alcançar a intensidade do sentimento ou exprimir de forma fiel a realidade dos fatos. Porque não depende de como ou o que você fala, mas de como o ouvinte interpreta suas palavras.

E porque após dita, a palavra não retorna e pode provocar prejuízos incalculáveis.

Um comentário, que parece insignificante ao ser dito, pode destruir a vida de uma pessoa, e nesse sentido, se encaixa o Mandamento: Não matar. Pois matar não é só tirar diretamente a vida física, destruir sonhos, carreira ou sujar a moral de uma pessoa é também uma forma de matar, talvez até mais complicada do que tirar a vida física, pois a pessoa terá que sobreviver com o peso da calúnia.

Resultado de imagem para imagem de homens bebendoMuitas pessoas acham engraçado falar da vida do outro, ou adoram comentar seus problemas de relacionamento na roda de amigos, sem medir as conseqüências que isso venha a causar. Ás vezes, não por maldade do amigo, mas até com boas intenções em ajudar, acaba comentando com outro amigo e assim, vai se espalhando a conversa e multiplicando as interpretações causando danos ao casal, a família e até a própria pessoa.

Hoje ainda tem o  agravante da globalização, pessoas se acham no direito de comentar do outro ou se expor, e em segundos detona milhares de comentários que  poderá trazer alguma ajuda sim, mas também:  mágoas, frustrações e arrependimentos.

“Nossas palavras têm o poder para destruir e edificar vidas.”

Resultado de imagem para imagem de roda de amigos

Que com essa consciência possamos desfrutar da alegria de conviver em família, de compartilhar com amigos de momentos de alegria e principalmente, de edificar nosso espírito através de boas palavras, de conversas saudáveis e otimistas, que sempre façam nossa despedida  ser promessa de um novo e prazeroso encontro.

Toda pessoa tem seu preço?

Resultado de imagem para foto de provação

Há momentos em que a vida te coloca a prova de diversas maneiras.

Diante dos fatos é preciso decidir: 

*  Fazer ou não fazer?

* Dizer sim ou dizer não?

* Falar ou não falar?

* Agir ou desistir?

Quando menos se espera, em várias situações  é necessário  tomar uma decisão, e  dessa decisão poderá depender o  seu futuro e o futuro de muitas pessoas, por isso  a cautela é muito bem vinda e pesar todos os prós e os contras é fundamental.

Estudar todas as possibilidades e ouvir o seu “eu interior” é uma medida de segurança, para depois não se arrepender, pois muitas situações são irreversíveis, e podem causar danos irreparáveis.

É preciso estar sempre atento , pois o homem é provado  no seu dia a dia, no trabalho, no grupo de amigos, na família, e muitas vezes uma palavra, apenas uma palavra, pode destruir sua imagem, uma imagem que passou anos construindo.

Nos momentos de dificuldades financeiras, é que mais tentações batem a porta, oferecendo oportunidades para tirar as contas do vermelho.

Quando um pai ou uma mãe, abre  a porta da geladeira, olha  na despensa e vê que não tem o que oferecer para alimentar seus filhos,  que o seu salário já se foi no meio do mês e que ainda tem contas a pagar, o desespero toma conta e aí aparecem as ofertas “milagrosas” para resolver o problema. As  frases:  “Só se eu roubar.” ,  “Só se eu rodar a bolsinha.” surgem inesperadamente no pensamento. Sim, seria a solução a curto prazo para resolver o problema.

Pressionado no trabalho, para se favorecer em negociações agindo de forma ilegal, mas que trariam lucros exorbitantes, capaz de  resolverem todos os seus problemas financeiros, não seria de todo mal.

O que leva uma pessoa a roubar, roubar uma outra na rua, supermercados, residências ou roubar  a empresa que trabalha ou os cofres públicos?

 

Sim, pois a palavra correta é roubar. Diz-se CORRUPÇÃO para pincelar de rosa um quadro negro que assola toda a nação brasileira.

 

 

Em consulta no Google, assim aparece a palavra corrupção:

1. deterioração, decomposição física de algo; putrefação. “c. dos alimentos”

2. modificação, adulteração das características originais de algo.”c. de um texto”

3. depravação de hábitos, costumes etc.; devassidão.

4. ato ou efeito de subornar uma ou mais pessoas em causa própria ou alheia, ger. com oferecimento de dinheiro; suborno.” usou de c. para aprovar seu projeto”

5. uso de meios ilegais para apropriar-se de informações privilegiadas, em benefício próprio. “é grande a c. no país”

Origem ⊙ ETIM lat . corruptĭo,ōnis ‘corrupção, deterioração’

E roubo aparece como:

  1. apropriação indébita de bem alheio.
  1. . jur crime que consiste em subtrair coisa móvel pertencente a outrem por meio de violência ou de grave ameaça.

Logo roubo e corrupção podem ser entendidas como sinônimos,  que demonstram a incapacidade do homem de resistir as provações que lhe são impostas.

E vem a pergunta: Toda pessoa tem seu preço?

A pessoa estipula seu preço muitas vezes sem se dar conta que está se vendendo, porque parece ser tão normal levar vantagem em tudo, ser o esperto é até motivo de admiração. E ela acaba colocando seu preço no combustível que tira do carro da  empresa para colocar no seu carro particular. Está colocando seu preço na comissão que cobra para comprar de uma ou outra loja; no troco errado que recebe e coloca no bolso; no negócio que faz sabendo que vai dar prejuízo ao que comprou. Na corrupção que desvia milhões de reais e prejudica toda a nação,  também se está colocando seu preço.

Em qualquer situação o prejuízo pessoal é o mesmo daquela que vende seu corpo para sobreviver. Embora esta, pense estar  prejudicando  apenas a si própria, está tirando o leite de uma criança, o remédio de uma mãe ou o lazer de uma família. Os demais casos, atinge todas as esferas da sociedade e quando se “rouba” o país, a pessoa está:

–  tirando a oportunidade da criança de ter uma educação de qualidade;

–  contribuindo para que bandidos e traficantes ajam com tranquilidade, porque impede a polícia de ter a estrutura e armamento adequado para combatê-los;

–  prejudicando a economia, porque o “dinheiro” é o mesmo, que circula de mão e mão, e que quando desviado, provoca o efeito dominó, impactando sobre o comércio e indústria, desacelerando a economia e diminuindo a arrecadação que deveria ser posteriormente repassada aos estados e municípios para serem revertidos em benefícios para os milhões de eleitores e seus familiares que confiaram suas vidas nas mãos deste político que inescrupulosamente se apodera das riquezas do país.

E o mais triste, que pode até passar desapercebido,  a pessoa que coloca seu preço,  “roubando” ou “se vendendo” , está assassinando   recém-nascidos por falta de maternidades para que possam ser acompanhados na gestação e  nascerem  em condições ideais.

 

 Está assassinando pessoas por falta de leitos  hospitalares e medicamentos,  está na bala perdida que tira a vida de inocentes e está no sorriso desfeito de uma separação conjugal. 

 

Se diante de uma situação difícil fossem feito três perguntas:

– O problema é tão grande que não exista uma saída digna?

-Resolver o problema de imediato faz  valer a pena  arcar com as consequências futuras?

-Quantas pessoas direta e indiretamente serão prejudicas diante dessa decisão?

As respostas com certeza,  levariam a conclusão do quanto vale uma pessoa, de quantos reais seriam necessários  para violentar todos os seus conceitos  e crenças,  para que defronte do espelho deixasse de  reconhecer a criança que um dia sonhou com um mundo melhor.

O preço de uma pessoa… é o valor que atribui a si própria.

 

 

 

Reclamar é um vício…

 

 

Reclamar  é um vício…

Praticamente de tudo  e de todos se  reclama.

Reclama-se da  política, da economia, da comida, para tudo se acha um motivo .

A reclamação é tanta, que reclamar deveria ser dom ao invés de ser um vício.

E quanto mais se reclama,  mais as coisas pioram.

E isso pode ser confirmado por duas teorias.

 

– A  programação neurolingüística (PNL),  diz que nosso cérebro não reconhece a palavra “não” e processa aquilo que a sucede imediatamente. http://www.istoe.com.br/reportagens/9672_VOCE+E+O+QUE+VOCE+FALA. É preciso pensar sempre de forma  positiva  e traçar os objetivos  a atingir com a maior clareza possível, acrescentando dados concretos, inclusive uma  previsão de data para acontecer , para que o cérebro tenha os parâmetros para trabalhar na sua realização.

– Segundo a Wikipédia,   a lei da atração diz que os pensamentos das pessoas (tanto conscientes quanto inconscientes) ditam a realidade de suas vidas, estejam elas sabendo disso ou não. Essencialmente, “se você realmente quer alguma coisa e realmente acredita que é possível, você vai consegui-la”.  

Mas afirma também que se  colocar muita atenção e pensamento em algo que você não queira significa que você também vai receber esta coisa. Portanto, observe bem no que está focando seus pensamentos, para que não aconteça exatamente o que você tem medo que aconteça. 

Considerando estas duas teorias, é preciso mudar a maneira de pensar  e parar de reclamar.

As coisas ao redor, podem não estar da maneira que deveria, mas reclamar não vai resolver, ao contrário, só irá piorar.

Diante das dificuldades é preciso estudar o fato, e agir de maneira positiva, para atrair coisas boas e positivas, da mesma forma, para atingir seus sonhos e objetivos, é necessário fazer um projeto de como e quando  quer a sua realização. Somente assim, o seu cérebro e o universo irão “conspirar a seu favor”.

Reclamar é um vício… faça do pensamento e  da ação dons para te levar a  grandes vitórias.

 

 

 

“…mas livrai-nos de todo mal.”

Pintura de Paul Gauguin, ParisEva e árvore da ciência

Esta oração ensinada por Jesus Cristo é a mais perfeita de todas as orações, e nos ensina, que o mal está sempre a nos perseguir, por isso temos que estar sempre atentos.

Indiferente de religiões, crenças,  dogmas…o MAL pode ser compreendido como tudo aquilo que de uma maneira ou outra nos afasta de nossos objetivos.

O Mal se manifesta quando após traçar todas as metas, estando  prestes a atingir aquele objetivo, alguém aparece com uma proposta tentadora na contramão daquilo que se planejou.

O Mal se manifesta no trabalho, naquele chefe ou colega que   perturba, desvaloriza, que tenta puxar o tapete do outro.

O Mal se manifesta no grupo de amigos, através de fuxico, cobiça, inveja.

O Mal se manifesta nos relacionamentos amorosos de muitas maneiras, seja através do ciúme, da infidelidade, da falta de paciência com o outro… da falta de comprometimento na relação.

O Mal, age diretamente no homem, através dos vícios: beber, fumar, usar drogas, luxúria,  gula, egoísmo… e para vencer o mal, a oração é fundamental.

Para quem segue uma religião, orar é falar com Deus, é  pedir ajuda, buscar forças para resistir às tentações. Aos  intitulados  ateu, orar  seria firmar o pensamento,  buscar seu poder interior, sua capacidade de superação...  de qualquer maneira, para resistir ao mal, a grande sacada é não bater de frente com ele, é evitá-lo.

Assim, os dependentes químicos  devem evitar  lugares e reuniões onde tenha à disposição álcool, cigarro, drogas… até  que esteja suficientemente forte para resistir a tentação do consumo.

Se a infidelidade, a atração pelo outro perturba sua mente, seu coração, evite  toda e qualquer situação em que possa estar a sós com a pessoa, pois não terá dessa forma a  oportunidade de fraquejar.

No trabalho, no grupo de amigos seja cauteloso ao falar,  paciente ao ouvir e sábio em discernir o fato do boato.

Assim tenha sempre em mente, a afirmação: “…mas livrai-nos de todo mal.” Porque ela tem poder de fortalecer a nossa ação em busca do bem e do correto.